Wuerzburg

Wuerzburg: Barroco, ponte sobre o Main, vinho branco Silvaner

Wuerzburg é uma cidade da francônia na Bavária que compõe a Rota Romântica. Fica a 120 km de Frankfurt, onde está o principal aeroporto internacional alemão. É, portanto, facilmente alcançável por trem e automóvel.

A melhor chegada a Wuerzburg

A primeira e marcante impressão ao chegar à cidade é a Alte Brücke, Ponte Velha em alemão. Ao atravessar o rio Main, esta ponte de 1543 nos leva ao centro da cidade. Nesta ponte pode-se apreciar um conjunto de doze estátuas barrocas representando santos e personalidades da época, com destaque para a de Carlos Magno — a primeira no início da ponte.

Com altura média de 4,50 metros e construído em 1744, este conjunto da ponte de Wuerzburg lembrará aos brasileiros as famosas estátuas do Santuário de Bom Jesus de Matosinhos em Congonhas do Campo, feitas por Aleijadinho cinquenta anos depois, entre 1794 e 1804.

Bombardeio e reconstrução

Na noite de 16 de março de 1945, a seis meses do final da 2ª Guerra Mundial, Wuerzburg foi destruída em 17 minutos por 225 bombardeiros britânicos lançando 1200 toneladas de bombas. O ataque não teve a intenção de destruir um polo industrial, que ali não havia, mas apenas o objetivo de quebrar o ânimo da população alemã.

O fogo destruiu cerca de 80% do centro da cidade e matou perto de 5.000 pessoas. Todos os edifícios históricos restaram carbonizados ou muito danificados, incluindo a catedral e outras igrejas da cidade. O que sobrou foram 2,7 milhões de metros cúbicos de entulho a ser removido.

Na reconstrução da cidade foi decisiva a iniciativa e participação das mulheres sobreviventes, pois os homens estavam mortos ou prisioneiros.

Vinte anos após, em 1965, os edifícios e os monumentos já tinham sido cuidadosamente reconstruídos e neles haviam sido reinstaladas muitas das suas obras de arte originais, as quais foram preservadas em lugares seguros, antes do bombardeio.

O que não deixar de conhecer em Wuerzburg

Wuerzburg-falkenhaus
Belo logotipo da Falkenhaus: falcão e uvas. Detalhe de um dos frontões do edifício, restaurado em 1950.

Falkenhaus

Uma boa escolha para iniciar o passeio pela cidade é uma passada pela Casa dos Falcões, Falkenhaus em alemão, um seminário em 1338 e hospedaria em 1629.

Transformado em hotel em 1735, recebeu em 1751 a atual fachada Rococó. Foi salão de baile e concertos até em 1939, quando foi adquirido pelo município. Seriamente danificada pelo bombardeio de 1945, foi parcialmente reconstruída em 1947.

Em 1950 teve sua fachada amarela com ornatos rococó em branco fielmente restaurada com base em fotografias do passado. O seu interior foi adaptado às suas novas funções: um centro de informações atualizadas sobre a cidade, sobre os vinhos brancos da Francônia, entre outras de interesse turístico.

Caso seja conveniente, é também um excelente ponto para um merecido descanso, no seu agradável pátio interno.

wuerzburg-catedral
À direita, nave da Catedral de Wuerzburg após a reforma de 1967. Imagem de Pepino, o Jovem, com vista sobre o casario e torre da Marienkapelle.

Catedral de Wuerzburg

Wuerzburg tem seu nome composto pela palavra Wuerze – em alemão erva/especiaria, com Burg – em alemão, castelo.

A primeira diocese no local foi fundada em 742 e a primeira catedral foi consagrada por Carlos Magno em 788. Escrevi um texto sobre Aachen onde conto mais sobre a coroação deste importante imperador.

O edifício da atual catedral foi construído de 1040 a 1225 em estilo Românico, transitando para o estilo Barroco com o decorrer do tempo — para entender melhor a ordem cronológica dos estilos artísticos, veja o nosso post sobre História da Arte.

O edifício da atual Catedral de Wuerzburg, ou Dom St. Kilian, tem origem na reforma iniciada pelo Bispo Bruno em 1034-1045, tendo sido concluída em 1188. Com 105 metros de comprimento é a quarta maior igreja românica da Alemanha.

O desenvolvimento do Barroco em Wuerzburg

Em 1705 a nave principal recebeu uma decoração em estuque no estilo barroco italiano, por Pietro Magno, enquanto o renomado arquiteto barroco alemão, Balthasar Neumann finalizou em 1736 a capela da asa transversal norte.

No ataque aéreo britânico de 1945 a catedral foi totalmente destruída pelas chamas e, no inverno do ano seguinte, a nave central desabou.

Na restauração, que se estendeu até 1967, o estuque da nave transversal e do coro foram restaurados, enquanto a nave central não teve seu estuque lateral restaurado e sua abóboda recebeu apenas um forro de madeira.

Em seu interior foram reinstaladas as obras de arte preservadas em lugares seguros, entre as quais se destacam, entre muitas outras, uma escultura dos Reis Magos do século XIII e o trabalhos de Tilman Riemenscheider e Lorenz von Bibra, notáveis artistas alemães do século XV.

Marienkapelle

Wuerzburg-Marienkapelle
Nas laterais, detalhes de Adão e Eva e, ao centro, o portal de Riemenschneider na entrada principal da Marienkapelle.

No coração do centro histórico de Wuerzburg, na praça do antigo mercado — o Unterer Markt — fica a Marienkapelle.

Ela foi construída no século XIV sobre as ruínas de uma antiga sinagoga em estilo gótico tardio. Ali estão exemplos importantes da obra de Tilman Riemenschneider, tanto na fachada quanto no interior.

Wuerzburger Residenz

wuerzburg-residenz
Wuerzburger Residenz, detalhe da Capela Imperial. A restauração do palácio esteve ativa até 2006.

Uma das mais importantes construções barrocas da Europa é a Wuerzburger Residenz, a qual teve as suas obras iniciadas em 1720 tendo a sua construção bruta sido terminada em 1744. Entretanto, a sua finalização com seus ricos acabamentos somente foi concluída em 1780.

O Príncipe-Bispo Johann Philipp Franz von Schönborn contratou para realizar o projeto e acompanhar a obra o então jovem arquiteto Balthasar Neumann (1682-1753). Neumann acompanhou a construção do palácio até a sua morte, servindo os dois sucessores de Johann Philipp.

O custo da construção final do palácio foi de 1,5 milhão de Guldens, em uma época em que um diarista recebia um Gulden por semana.

A Residenz não se resume ao estilo Barroco alemão, mas abrange também o Barroco italiano, o Clássico francês e o Imperial vienense — estilos que foram harmonizados pelo arquiteto Neumann, por vezes até contrariando os proprietários do palácio.

Artistas renomados em Wuerzburg

Três gerações de artistas e artesãos da Europa contribuíram para a decoração do palácio, com destaque para o veneziano Giovani Batista Tiepolo que decorou com seus afrescos o salão imperial e a caixa da escada do edifício, entre 1751 e 1753.

Em março de 1945 o bombardeamento da RAF sobre Wuerzburg, provocou um incêndio no palácio que quase o destruiu totalmente, apenas restando salvas as obras que já haviam sido retiradas para lugares seguros.

As únicas partes do palácio que permaneceram menos atingidas foram a caixa da escada e a Sala Imperial, por terem a estrutura de pedra sustentado as paredes e o telhado, salvando parte dos afrescos de Tiepolo. A restauração total do palácio somente foi concluída em 2009. Foram necessários 64 anos para a sua total recuperação!!

Silvaner, o vinho branco da Francônia

Embora o vinho branco Riesling seja dominante na Alemanha, o branco Silvaner se destaca na Francônia, onde está localizada Wuerzburg.

Uma das regiões viníferas da Francônia que merece ser visitada é Maindreieck, em alemão, Triângulo do Rio Main. A principal cidade desta região é Volkach, distante 25 km de Wuerzburg.

Volkach apresenta paisagem urbana medieval, composta por casas com estrutura enxaimel e praça com chafariz e igreja. Seu direito de cidade remonta ao ano 1254.

A Madona do Rosário de Tilman Riemenschneider, pintada por volta de 1500, pode ser vista na Kirche Maria im Weingarten, Igreja Maria no Vinhedo — em alemão. Antiga igreja de peregrinações está localizada em outeiro próximo da cidade. Esta pintura foi roubada em 1962 e recuperada e restaurada, no ano seguinte. Este roubo foi considerado um dos mais ousados na Alemanha do pós-guerra.

Para apreciadores de vinhos

Em toda a região o Silvaner e outros excelentes vinhos brancos podem e devem ser apreciados em restaurantes, vinícolas, festas anuais e nos vinhedos. É redundante citar tipos e marcas, pois alguns podem até ser diferentes, porém todos são muito bons, pois os ruins já foram eliminados há muito tempo!

Para conhecer melhor o Barroco e ver mais imagens da Residenz em Wuerzburg e de outros lugares que fotografamos no mundo, veja o nosso livro sobre o Barroco. E para mais dicas de viagens e informações culturais, nos acompanhe em nosso Instagram.

PS – Optamos por grafar Wuerzburg e não Würzburg por motivo de não existir o trema em português. Em alemão “ü” é equivalente a “ue”.

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

2 Comentários

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.