aluguel de carro na Europa

Aluguel de carro na Europa: tudo o que você precisa saber para ter a melhor experiência

Depois de decidido os destinos da viagem chega a hora que sempre gera dúvida: como se locomover? E aí bate aquela insegurança! Afinal, o que é melhor? Aluguel de carro na Europa ou optar por viajar de trem?

Não se deixe enganar: não existe uma resposta correta. Então ignore aquele amigo sabichão ou a parente que sempre afirma ser a melhor opção justamente a diferente da que você escolheu!

Aqui nós vamos contar todas as vantagens, tudo que é preciso considerar e dar todo o apoio para você escolher o que é melhor para você e para a sua viagem. Você não vai perder, vai? 😉

Guia para aluguel de carro na Europa

Circular de carro pela Europa pode ser uma experiência incrível, ou extremamente frustrante — para isto basta acontecer uma das seguintes situações:

Lista de possíveis perrengues

  • tomar uma multa, e estourar o seu orçamento;
  • ou pior, você tomar várias multas, e só saber disto meses depois, ao ser surpreendendo com débito no seu cartão de crédito;
  • ralar o carro na viagem ou ter o veículo danificado — sem ter contratado seguro para cobrir o custo;
  • perceber que gastou mais de estacionamento do que com alimentação;
  • ser parado em uma fiscalização sem a documentação em mãos;
  • não ter considerado o custo de pedágio em sua planilha de custos.

Mas, se você se organizar direitinho e contar com a sorte, pode ser que alugar um carro pela Europa lhe garanta:

Lista de vantagens do aluguel de carro

  • não se preocupar com horários e ficar livre para ir e vir conforme a sua conveniência;
  • poder levar toda a bagagem consigo, sem os limites impostos pelo avião ou o stress de entrar e sair com elas nos trens;
  • escolher trafegar pelas estradas secundárias, passando em meio a cidades menores e a vilarejos que jamais conheceria em outros meios de transporte;
  • possibilidade de organizar livremente o seu dia, parando ao longo do caminho onde lhe convir, ficando o tempo que quiser;
  • ideal para conhecer uma região, mas não é a melhor opção para uma cidade maior.

Documentação sugerida para dirigir na Europa sem problemas

Em alguns países é possível alugar um carro apenas com a sua carta de motorista, como, por exemplo: Portugal e Espanha. Mas lembre-se: é preciso estar com o seu passaporte o tempo inteiro!

Na França, a rigor, é preciso que a carta de motorista esteja em francês: então seria adequado ter uma tradução juramentada da sua CNH. Neste caso, acho mais fácil tirar a PID — Permissão Internacional para Dirigir, que é aceita em todos os países do exterior e pode ser pedida online aqui no Brasil. Inclusive, saiba que a PID tem a mesma validade da CNH.

O mesmo vale para a Itália: já alugamos carro no país só com a CNH, mas em outra oportunidade exigiram a PID. Depende do estado, da locadora, da cara do cliente…

Já em países como Alemanha, Áustria, Suíça, Bélgica e Holanda a PID é necessária. Sem ela nada de locação de carro!

Ora, e não custa contar que os países que assinaram o Tratado de Schengen recomendam tê-la consigo.

Por isso, para prevenir chateações e evitar problemas maiores, sobretudo em caso de qualquer acidente, recomendamos que sempre viaje a Europa com a sua PID, pois é um documento internacional com foto. É preciso que a CNH original também esteja com você.

Assim não terá qualquer problema com a documentação.

Qual carro alugar

De novo, não tem uma só resposta. Depende de vários fatores:

  • orçamento do viajante;
  • número de viajantes;
  • número de malas;
  • destino;
  • motivo da viagem;
  • tipo de viagem: duração e destinos, número de diárias.

Qual o tipo de viagem

Por quantos dias irá precisar do carro?

Já locamos carro por um mês, 20 dias, 1 semana ou 1 dia. Não é preciso escolher um único meio de locomoção na viagem!

Leve em consideração o seguinte, para saber exatamente qual é a melhor opção para você:

Pretende conhecer a região entre dois destinos, ou vai de ponto a ponto?

Se a sua resposta for sim para a primeira opção: escolha ir de automóvel. Algumas estradas da Europa são simplesmente encantadoras. Separamos sugestões de regiões que valem ser visitadas de carro:

  • Toscana, na Itália;
  • Rota Romântica, na Alemanha;
  • região dos Vinhedos no Douro, norte de Portugal;
  • Andaluzia, sul da Espanha;
  • Borgonha, na França;
  • Flandres, na Bélgica;
  • região dos castelos, no entorno de Copenhagen, Dinamarca;

Ou a cidade visitada tem uma estação de trem perto do centro?

Nestes casos o melhor é sempre ir de trem: é mais rápido, sairá mais barato e você não vai ter que gastar com estacionamento ou se preocupar onde deixar o veículo.

Saiba alguns destinos que têm a estação de trem bem perto das principais atrações turísticas, entre duas cidades:

  • Zurique e Lucerna, na Suíça;
  • Colônia e Düsseldorf, na Alemanha;
  • Paris e Reims, na França;
  • Amsterdam e Delft, nos Países Baixos;
  • Milão e Florença, na Itália.

Outros custos a considerar em seu orçamento, caso opte pelo aluguel de carro na Europa

Muitas vezes vejo amigos considerarem apenas o custo do aluguel x passagem de trem. E isto não está certo!

Além do valor das diárias será preciso computar também:

  • o seguro — sempre optamos pelo valor global e depois vamos contar o porquê. Mas é bom sempre conferir se você terá algum desconto: muitos cartões de crédito oferecem alguma vantagem;
  • o combustível: que é mais caro no Velho Mundo do que aqui, na América Latina, de uma forma geral;
  • os pedágios: caso opte por trafegar pelas estradas principais;
  • os custos de estacionamento: seja no hotel onde estiver hospedado — quase sempre bastante caros — seja de deixar o veículo em um parking, nas cidades mais turísticas.

Além disso, é bom sempre deixar uma folga, porque imprevistos acontecem!

Uma rápida consideração sobre os pedágios

Cada país europeu tem o seu sistema. Em alguns é preciso colar uma espécie de selo no para-brisa do seu carro alugado: pode valer por dias, mês ou períodos maiores. Confira o que lhe for mais conveniente.

Em algumas ocasiões a locadora pode lhe entregar o veículo com o sistema instalado. E na devolução você paga pelo que usou.

Em outros países é preciso retirar um ticket ao entrar no trecho administrado pela empresa local e ao sair da estrada você apresenta o ticket e paga o equivalente aos quilômetros percorridos.

O pagamento pode ser em espécie ou cartão de crédito ou débito. Mas lembre-se: é preciso ficar atento a qual guichê irá escolher. Há opção com atendimento pessoal (ideal para quem não tem prática) ou automático.

Tudo é sempre sinalizado antes.

Exemplos de perrengues que vivemos em nossas locações de veículo no continente europeu

Multa de estacionamento

Na Europa, nas capitais e cidades mais importantes, estacionar é algo complicado. São poucos os espaços públicos e muitos deles são demarcados para moradores.

A saída, quase sempre, é deixar o carro alugado em um estacionamento. Muitas vezes, eles ficam junto a monumentos históricos, como castelos e palácios.

Mas, é preciso, sempre, prestar muita atenção ao tempo. Algumas vezes você irá pagar pelo tempo que deixou o carro lá: isso é fácil e você só precisará decifrar a máquina de pagamento automático.

Outras vezes, será preciso pagar adiantado. E é aí que pode dar algum problema.

Um exemplo para ilustrar o que pode acontecer

Certa vez estávamos no interior da Dinamarca e imaginamos que iríamos gastar uma manhã visitando um palácio. O plano era circular por ali, voltar para o carro, almoçar no caminho e seguir para a próxima atração.

Mas era um palácio barroco, estilo artístico que adoramos, e acabamos nos demorando muito mais. Ficamos com fome e resolvemos comer por ali.

O estacionamento era baratinho e pensamos que seria só pagar a diferença. Não era!

Quando chegamos ao carro tínhamos tomado uma multa, equivalente a uns 50 euros, e precisávamos pagá-la no banco. Ai que chateação!

Resolvemos seguir com o programa e deixar para resolver depois. Só conseguimos pagar a multa no final do dia, de volta ao hotel, com apoio do pessoal da gerência. Um mico!

Multa por excesso de velocidade

Em muitos trechos pelas estradas da Alemanha não há limite de velocidade. Neste caso jamais trafegue na pista da esquerda: que é para os locais, que conhecem a região e dirigem voando!

Mas, na maioria dos países, há sim limite de velocidade e, às vezes, dirigir pelas estradas menores pode parecer uma gincana:

Uma vez estávamos indo da Áustria para a Itália, com destino a Veneza. Saímos cedo, para aproveitar o caminho, que é belíssimo. Só que pegamos um bom trecho de estrada em obras, precisamos dar uma volta e já estávamos atrasados — tínhamos ingresso para uma première no Teatro Fenix.

O trecho final do trajeto, chegando perto da Laguna de Veneza, tinha limite que alterava a cada tanto de 30, 40, 50 km/hora. E a estrada estava vazia. Alfredo resolveu ir a 50 e pronto. O que poderia acontecer?

Pois é! Quando voltamos a São Paulo recebemos a multa pelo Correio. O débito havia sido lançado em nosso cartão de crédito, somado a uma taxa de uns 10 ou 15 euros da locadora. Não adiantava nem mais eu repetir: “eu te disse!”.

Dano ou defeito no carro alugado

Este é um tópico para se prestar atenção. Em uma viagem podem ocorrer muitos imprevistos!

Como temos o hábito de fazer o aluguel de veículo com seguro total nunca tivemos sustos, mas já tivemos diversas situações que poderiam ter nos dado dor de cabeça, caso não estivéssemos completamente assegurados:

Ralar o carro

Infelizmente, já aconteceu conosco mais de uma vez. Uma delas inesquecível!

Alugamos uma Zafira e rodamos com ela pelo sul da Espanha. Só que não imaginamos que as ruas que levavam a parte mais alta de Arcos de la Frontera seriam tão estreitas!

Nosso hotel ficava na praça principal, bem no alto da colina. Uma vista belíssima! Só que na hora de ir embora a descida era por uma rua mais estreita, e em alguns locais o carro mal passava. Fechamos os espelhos laterais e fomos descendo devagarinho.

Mas um carro local estava manobrando em frente à sua casa, e foi preciso dar uma ré. Sem o espelho e com a falta de espaço, somado ao stress, demos uma raladinha no para-choque. Bem pequena, mas ainda bem que tínhamos seguro!

Batida de carro

Na Europa quem causa o dano paga toda a conta. Esteja preparado, pois a frota de carros é muito mais moderna e tem valores muito mais altos que aqui no Brasil.

Em uma de nossas viagens bateram na traseira do nosso carro. Havíamos acabado de alugar uma perua Passat novinha, linda, super moderna. Saí dirigindo de Berlim em direção ao norte e, em um congestionamento perto de Hannover, a motorista que vinha atrás de nós falava ao celular e não conseguiu brecar.

Foi um susto. O porta-malas nem abria e perdemos todo o sistema de câmera do carro.

Ficamos ali esperando e em 5 minutos parou um carro da polícia nos sentido oposto da pista: perguntando se havia feridos ou vazamento de combustível. Não havia.

A facilidade e a falta de burocracia na Alemanha

O policial informou que devíamos esperar outra dupla, que chegaria até nós na mesma pista em que estávamos. Demorou, no máximo, mais uns 10 minutos.

Alfredo é fluente em alemão, mas, como era eu quem estava dirigindo, o policial conversou comigo em inglês. Disse para ficarmos tranquilos que todo o custo seria por conta de quem bateu em nosso carro. Ele faria o aviso do ocorrido e nos daria um número para levarmos até a locadora mais próxima: que estava a uns 10 ou 15 minutos de nós.

A única burocracia foi mostrarmos nossos documentos e do carro, e nos deram um número anotado no cartão pessoal do policial e o endereço e informação para chegarmos à locadora. Tudo da maneira mais gentil possível.

Em meia hora estávamos novamente na estrada, com um novo carro: na locadora foi tudo igualmente rápido e descomplicado.

Ficamos pensando o que seria de um casal de alemães envolvido em uma batida em qualquer estrada brasileira…

Moral da história: tenha sempre seguro! Inclusive porque pode ser você a causar um acidente bobo como este!

Mais algumas considerações importantes

Sobre qual marca escolher

Nem todos os países europeus são iguais. Então, principalmente se for fazer um giro de carro por diversos países, informe todos eles no momento da locação. De preferência deixe por escrito.

Isso é importante porque alguns países tem restrição de seguro, e você não poderá ir até eles com algumas marcas.

Temos mais uma historinha para contar

Em uma outra viagem íamos da Alemanha para a República Tcheca. Só que as locadoras alemãs não cobrem eventuais danos se atravessarmos a fronteira com carros da marca Volkswagen, Audi, BMW.

Foi preciso locar um Renault, muito mais simples que o veículo inicialmente reservado. Mas, pelo menos, com seguro total!

Outro problema é a sinalização: tudo em tcheco! Nada em inglês ou qualquer outra língua pela estrada da fronteira até Praga. Além disso, o GPS do nosso carro deixou de funcionar, e, quando paramos na estrada para pedir informação a dois policiais, precisei sair do carro com as mãos para cima…

Resumindo: em outra viagem, fomos à Praga de avião!

Sobre qual modelo de carro escolher

Já alugamos um Cinquecento para circular de uma cidade à outra na Toscana, sem precisar levar malas; e já alugamos um imenso BMW, aproveitando uma promoção e um up grade, para circular confortavelmente pela Cote d’Or, na Borgonha.

Vai depender do tipo da viagem, de quantos estarão no carro e, acima de tudo, do seu orçamento.

Não confie cegamente em seu GPS

Já comentamos sobre a perda de sinal na República Tcheca, o que pode ser desesperador. Por isso, é sempre seguro ter, ao menos, um mapa geral das estradas por onde pretende transitar.

Nós sempre levamos uns impressos conosco: e já usamos em diversas oportunidades.

Mas, é bom sempre lembrar que as mãos de algumas vias podem mudar e que, podem mesmo, ocorrer erros.

Veja o que já aconteceu conosco

Estávamos chegando a Amsterdam como nosso veículo alugado na Alemanha. Até ali o sistema estava funcionando perfeitamente.

Só que o nosso hotel ficava bem no centro e, quando vimos, após seguir um certeiro vire a direita, me vi de frente ao bonde, em uma rua de pedestres!

Dei ré imediatamente com a voz do GPS insistindo para seguirmos em frente, quando ouvimos um apito!

Um casal de policiais surgiu em nossa frente, bastante irritados e nos informou que pela infração precisaríamos pagar uma multa no valor de 500 euros!

Eu quase chorei! Expliquei que éramos turistas, que o carro havia sido alugado na Alemanha e que era a minha primeira vez na cidade. Que eu não havia feito propositalmente e que havia apenas seguido o GPS.

O policial entrou no carro, conferiu se o GPS realmente havia errado e nos deixou seguir em frente, graças a sua comovida parceira. Mas levamos uma imensa bronca e a recomendação, jamais esquecida, de não confiar cegamente no GPS.

Siga esta recomendação!

E sobre qualquer defeito no carro

Igualmente saiba que se algo deixar de funcionar: pisca, som, alguma luz, ou GPS é só ir até a filial mais próxima da sua locadora e trocar de veículo. Sempre tudo muito simples.

De preferência, ligue assim que descobrir!

Considerações finais sobre aluguel de carro na Europa

Agora está pronto para resolver qual é a melhor maneira de se locomover em sua próxima viagem: avião, aluguel de carro ou trem.

Não se esqueça de checar se o seu programa de milhagem lhe confere alguma vantagem — às vezes é possível trocar pontos por diárias, ou usá-los para fazer up grade de categoria do veículo.

Ainda que isso não seja possível, não deixe de pontuar. Quem sabe a sua próxima locação de veículo não lhe ajuda a emitir uma passagem?

Enfim, para receber as nossas dicas para os seus próximos roteiros, assine e nossa Newsletter. Ou nos acompanhe pelo Instagram!

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

7 Comentários

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.