barroco-brasil

Barroco no Brasil

O Barroco no Brasil é rico, envolvente e sedutor.

É a arte do exagero, da ostentação. Mas, é preciso saber que foi um estilo criado para impressionar. E que funcionou como a arma mais eficiente da Igreja Católica contra a Reforma Protestante.

Embora não seja preciso ser especialista em arte ou arquitetura para se encantar com os mais belos exemplos do barroco brasileiro, entender o contexto em que foi criado e os porquês do período facilita a fruição e deixam a experiência melhor.

Por isso apresentamos aqui um resumo simples, claro e inequívoco do Barroco no Brasil.

Atlantes na Igreja do Convento de São Francisco, em Salvador. Acima, na abertura do post, detalhe da talha da Capela Dourada, em Recife.

O Barroco no Mundo

O estilo nasceu na Roma seiscentista, então a capital artística e cultural da Europa.

Um pouco do contexto histórico

Mas Roma estava tomada por um clero corrupto e decadente. E o escândalo das Indulgências fez com que perdesse prestígio junto a vários governos, sobretudo após a Reforma iniciada por Lutero.

Após a invenção da prensa móvel, por Gutenberg, os livros passaram a ser editados com mais rapidez e facilidade, disseminando conhecimento a um número maior de pessoas.

Com mais acesso à informação houve mais reflexão, críticas, e os exageros da Igreja e de governos católicos ficaram mais evidentes.

A Reforma ganhou corpo e se espalhou pela Alemanha, Dinamarca, Noruega, Países Baixos, Suíça e parte da França.

Era de esperar que a Igreja Católica, um dos maiores poderes do período, revidasse.

Nasce a arte da Contrarreforma

O papa Paulo III organizou o Concílio de Trento para reorganizar a Igreja e assegurar a fé cristã. Foi apoiado pelo governante mais poderoso da Europa, o católico fervoroso Felipe II de Espanha — filho e herdeiro do poderosíssimo Carlos V.

E também os soldados de Cristo

Em seguida foi criada a Companhia de Jesus, em 1534, e seus membros acabaram sendo conhecidos também como soldados de Cristo.

E foi assim, com dedicação e organização, que os Jesuítas entraram para a História por sua missão de evangelização na África, Ásia e nas Américas.

Arte para doutrinar a maioria

O sucesso da Contrarreforma se deve à genialidade de unir o que havia de melhor na arte para ensinar — lembrando que a imensa maioria da população não sabia ler.

Por isso nasceu o estilo artístico que foi criado para causar impressão, emocionar, e garantir a continuação e propagação da fé cristã.

A Igreja já era responsável pelas encomendas da maioria dos artistas europeus. Outro apoio importante eram os membros das realezas. E o Barroco unia, justamente, esses dois poderes. É claro que foi um imenso sucesso.

A aceitação das primeiras obras barrocas na Itália fez com que o estilo passasse a ser interpretado também em outros países igualmente católicos, como França, Espanha e Portugal.

E foi assim que as obras foram se multiplicando por toda a Europa. Mantendo as premissas, mas respeitando as características de cada lugar.

Em seguida chegou às principais colônias das monarquias mais poderosas. Um dos grandes exemplos é Cusco, no Peru (onde é conhecido como barroco mestiço).

Mas vamos voltar às obras no estilo em nosso país.

O Barroco no Brasil

Mais uma herança de Portugal

O Barroco português é reverenciado por todos como dos mais elegantes. Existem obras produzidas entre os séculos XVII e XVIII e é caracterizado pela qualidade da talha dourada e a riqueza de sua azulejaria.

É definido em três períodos, de acordo com Roberto Smith — historiador renomado e especialista no assunto:

  • Barroco Nacional
  • Barroco Joanino;
  • Rococó.

Em nossa opinião, as obras mais relevantes e impressionantes foram no período Joanino — tema do nosso livro O Barroco no reinado de D. João V.

É de lá que tiramos a seguinte frase:

Em Portugal, o Barroco não serviu apenas para mostrar aos fiéis o poder da Igreja Católica — serviu para cobrir de pompa o reinado do monarca que entraria para História como “o Magnânimo. D. João V, dando continuidade ao que seu pai havia iniciado no século anterior, extravasou seu gosto pelo poder, transformando parte de sua imensa fortuna em arte.

Fernanda e Alfredo Gallas, no livro O Barroco no Reinado de D. João V.

A chegada tardia do Barroco no Brasil

Por uma questão de sucessão a coroa portuguesa ficou 80 anos sob o domínio espanhol. Certamente isso motivou o atraso do desenvolvimento do Barroco no país e, consequentemente, o seu início em sua maior Colônia.

Mas, em meados do século XVII a importância do Brasil para a manutenção da coroa de Portugal não podia mais ser ignorada.

E a capital, Salvador, e cidades como Recife e Rio de Janeiro já se encontravam bastante desenvolvidas. E muitos já haviam feito, ou aumentado, as suas fortunas com o comércio local e com o Velho Mundo.

A igreja como centro da vida colonial

A igreja nos tempos coloniais era ponto de total importância na vida da população. Não só em termos espirituais, mas também culturais e da vida social como um todo.

Então, conforme a população melhorava de vida, cresciam as cidades. E os mais ricos investiam cada vez mais não só em suas moradias, e propriedades, como na Igreja de sua congregação.

Havia mesmo uma rivalidade, a ideia era contribuir para a sua igreja de devoção, para que ficasse cada vez mais bonita, melhor que as outras.

Dá até para entender, não é mesmo?!

A descoberta do ouro nas Minas Gerais

Pouco antes da coroação de D. João V, em 1705, encontraram ouro na região que hoje conhecemos por Ouro Preto, e em seus arredores.

Motivo para que a região fosse invadida com gente de todas as partes, em busca de riqueza.

barroco-brasil
Casario com torre de Igreja, em Ouro Preto. Na paisagem é possível identificar o Itacolomi.

O Dobrão e o ouro na decoração

Para se ter uma ideia das quantidades de ouro encontradas na antiga Vila Rica é preciso registrar que o metal passou a ser medido em arrobas, ao invés de quilos!

E foi por isto, pelas imensas quantidades, que foi criado o Dobrão! Foram as moedas de maior valor intrínseco até então circuladas no mundo.

barroco brasil
Dobrão: até as moedas do período tem design Barroco

Com quase 55 gramas de ouro cada dobrão valia 24.000 réis e uma só destas moeda comprava 12 bois!

As cunhagens dos Dobrões ocorreram apenas nos anos de 1724, 1725, 1726 e 1727.

Alguns anos depois encontraram também diamantes. E por isso Ouro Preto, a antiga Vila Rica, foi totalmente construído no estilo barroco. E assim segue preservado, sendo uma das cidades mais lindas em nosso país.

A decoração dourada de suas igrejas foi feita em ouro naquele período!

A riqueza flui para Salvador, Rio de Janeiro, Recife e Olinda

O envio do ouro e de outras riquezas retiradas de Minas Gerais era escoados pelos portos cariocas. Isto fez com que a cidade se modificasse, e ganhasse belíssimos monumentos barrocos.

Salvador também lucrou com o processo, mas acabou perdendo prestígio, e deixou de ser a capital da Colônia, em 1765.

Entre 1765 e 1960 o posto foi ocupado pelo Rio de Janeiro.

Outro polo que recebeu muitos investimentos, e fantásticas obras barrocas, foi Pernambuco. Importante desde o começo do desenvolvimento do Brasil, por causa das plantações e engenhos de cana-de-açúcar.

Aliás, foi isso que motivou a invasão holandesa do nordeste brasileiro.

O desenvolvimento do Barroco no Brasil

Nesse contexto, o tipo de arte e arquitetura que se desenvolveu por aqui foi uma continuação do Barroco Joanino.

Era, inclusive, feito por mestres portuguesesmas com mão-de-obra local. Formada, sobretudo, por mestiços e escravos.

Mas, com o passar dos anos, e um país tão grande, as construções brasileiras foram assimilando inovações locais, traços próprios, modificações nas plantas, outros materiais.

E disto resultou o que ficou conhecido como Barroco Brasileiro. Realizado já na segunda metade do século XVIII, com destaque para as obras de Aleijadinho.

Mas, vamos deixar as obras de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, para outra ocasião. Em outro post vamos tratar do Barroco Mineiro.

Uma lista com as obras mais emblemáticas do Barroco no Brasil

Citamos aqui obras de referência, que fazem parte do nosso livro sobre o Barroco. Em nossa opinião, são as mais belas em nosso país. A saber:

Recife

  • Capela Dourada;
  • Igreja de São Pedro dos Clérigos.

Salvador

  • Igreja do Convento de São Francisco.

Rio de Janeiro

  • Igreja da Ordem Terceira de São Francisco;
  • Igreja do Mosteiro de São Bento.

Ouro Preto

  • Matriz de Nossa Senhora do Pilar;
  • Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Antônio Dias;
  • Igreja de Santa Efigênia.

Mariana

  • Catedral Basílica de Nossa Senhora da Assunção.

São João del Rei

  • Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar.

Tiradentes

  • Igreja Matriz de Santo Antônio.

Um pouco mais sobre o estilo

Por fim, reforçamos algumas características do Barroco, que vem encantando há séculos:

Como escreveu D. Jorge Ortiga, Arcebispo de Braga e Primaz das Espanhas:

“O Barroco é a arte dos sentidos, da pompa teatral, da dinâmica das formas, do movimento. Dar a conhecer o Barroco é lembrar a nossa História, as nossas crenças, os nossos artistas, o nosso patrimônio. Um patrimônio que nos esforçamos por conservar, preservar e embelezar. Por respeito aos nossos antepassados. Para fruição gostosa dos atuais utentes. Para legarmos ao futuro marcas dignas do naco de História que estamos chamados a construir“.

D. Jorge Ortiga, na apresentação do livro O Barroco no Reinado de D. João V

Além disso, o Barroco seduz e conduz para o interior de suas construções. E, uma vez dentro, nos deparamos com uma decoração iluminada, pensada e feita para causar impressão. Afinal, o estilo é todo superlativo.

Gostou? Então, para ver outras obras barrocas que fotografamos pelo mundo e informações de nossas viagens culturais, siga-nos no Instagram.

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

5 Comentários

  1. Gosto mto de conhecer a História e as obras culturais de cada período

    1. Que bom! Nós também gostamos demais. Em breve vai ter mais posts por aqui sobre História da Arte, esperamos que goste. 😉

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.