bariloche-no-verao

Bariloche no verão: o que há de melhor na Patagônia Argentina

Bariloche no verão é alta temporada: quando a região é visitada tanto pelos argentinos, como por estrangeiros. O porquê disso? Simples, os dias são longos, o clima ameno e você irá aproveitar muito mais.

É a melhor época para aproveitar tudo que a região oferece!

Nós já estivemos na cidade três vezes em janeiro e a cada retorno nos encantamos mais! Na última vez ampliamos a viagem para conhecer melhor a Patagônia Argentina, viajando também a El Calafate e Ushuaia, com uma passadinha em El Chaltén. Mas isso será matéria do outros posts.

Hoje compartilhamos aqui o que vimos e experimentamos de melhor neste que é um dos lugares mais bonitos da América Latina. Fique de olho!

O melhor de Bariloche no verão

Em Bariloche no verão a vegetação e os jardins são exuberantes, o tempo é bom e os dias são longos. Ao contrário do inverno, quando escurece cedo e o frio e a neve restringem bastante a mobilidade.

De dezembro a março há muito sol, céu azul, com noites sempre mais frescas. Mas saiba que já pegamos dias em janeiro de 12 ou 13 graus, com bastante vento. Então, como o seguro morreu de velho, se prepare: e leve agasalho!

Nossos passeios preferidos em Bariloche no verão

É possível contratar os passeios antecipadamente do Brasil, ou em alguma agência, já estando em Bariloche.

Mas recomendamos se programar com antecedência, sobretudo em época de alta temporada, como no início de janeiro ou nos feriados nacionais.

E, preste atenção: mesmo já tendo os vouchers comprados e pagos será preciso trocá-los em uma cabine na entrada do Puerto Pañuelo e depois ficar em outra fila para pagar a taxa turística (e eles aceitam somente pesos)!

Então chegue com folga para evitar perder o seu barco.

Puerto Blest, Puerto Frias e a Cascata de Los Cântaros

É um passeio de um dia inteiro de travessia de barco pelo Lago Nahuel Hualpi, em direção ao Chile. A primeira parada é Puerto Blest, e de lá há três possibilidades:

  • permanecer ali, aproveitando a linda paisagem e fazer caminhadas. Há um hotel com apoio de restaurante, lanchonete e banheiros;
  • seguir com outro barco até Puerto Frias e depois para a Cascada de los Cântaros;
  • seguir de Puerto Frias para a travessia dos Lagos, para quem quiser continuar a viagem para a Patagônia Chilena.
Seguindo para Puerto Frias

Nós fizemos esta opção e adoramos. Mormente porque demos uma sorte imensa, e fez um dia perfeito!

Puerto Frias fica a uns poucos quilômetros da fronteira com o Chile. A baía é maior e mais bonita que a anterior e no percurso de barco as vistas são estonteantes.

Chegando lá você poderá ver um pequeno museu e a réplica de “La Poderosa“, a antiga moto usada por Che Guevara e seu amigo Alberto Granado para atravessar a América Latina entre 1951 e 1952.

Um filme baseado na aventura da dupla foi filmado pelo cineasta brasileiro Walter Salles. É o imperdível Diários de Motocicleta. Vale a pena assistir!

A subida até a Cascada de los Cântaros

Para chegar lá você irá fazer novo percurso em barco, saindo do Puerto Frias até outro porto, com cobertura de madeira. Dali é o princípio do sendero, ou caminho, para a cascata.

Esteja preparado para subir 1 quilômetro em uma estrutura de madeira no meio de um aprazível bosque de arrayanes. Tudo muito bem organizado, com bancos para descanso e um corredor largo.

Contudo, se tiver algum problema de mobilidade, será muito difícil. Senão, a cascata valerá o esforço!

Cascada de los Cântaros, em um dia de verão.

Depois é só descer toda a estrutura e pegar novamente o barco, de volta ao ponto de partida: Puerto Pañuelo. No inverno muito da graça destes passeios se perde, prejudicado pelo forte frio e pela neve.

Mas é claro que as paisagens invernais também encantam.

Aliás, é preciso registrar: mesmo no verão se chover ou ventar você irá se molhar. Por isso a melhor opção para evitar chateações é usar botas e uma jaqueta impermeável!

Ilha Vitória e o bosque de Arrayanes

É outra opção de passeio de barco pelo lago, e a parte mais bacana é andar no meio do bosque, com suas árvores de troncos de cores claras.

Valem as mesmas recomendações do item anterior, e é bom saber que há diferentes opções de embarcações: algumas mais populares e outras mais confortáveis.

O que muda é apenas o serviço e o conforto: as vistas e o passeio são os mesmos.

Se for estender a sua estada é bom considerar também esses outros passeios:

  • conhecer os cerros no entorno de Bariloche. O principal da cidade é o Cerro Catedral, mas nosso preferido é o Cerro Tronador, o mais alto da região e que fica na divisa com o Chile;
  • fazer um passeio até a vizinha Villa Angostura: alguns acham mais charmosa que Bariloche mas, como gosto não se discute, não é o nosso caso. Já nos hospedamos por lá uma vez, e optamos por mudar antes do previsto para Bariloche…

É possível alugar um carro para conhecer a região, se locomover de táxi ou em excursões. A escolha depende de cada tipo de viajante.

Onde se hospedar

Nós somos daqueles que gostam de voltar aos lugares preferidos, e um dos hoteis que mais gostamos no mundo é o Llao Llao Hotel & Resort.

Está implantado na parte mais bonita de Bariloche, em meio a uma paisagem de tirar o fôlego, com ótimo serviço e muito conforto.

Ao nos hospedarmos no Llao Llao em nossa última estada escolhemos não ir à cidade, que é bem sem graça, se comparado ao hotel.

Obviamente, se for a sua primeira ida a Bariloche e estando em outros hotéis — existem muitíssimos deles, para todos os gostos e bolsos. Vale a visita, sem grandes expectativas.

Pois a cidade é pequena, com uma rua principal de comércio onde ficam diversas lojas, chocolaterias e muitos restaurantes. Todo o comércio se espalha pelo pequeno centro.

Muita gente prefere ficar no centro comercial, para sair para comer e fazer compras. São dezenas as opções de hospedagem por lá, muitas com vistas para o lago.

Nós gostamos mais das opções fora do centro — existem alguns condomínios com serviço de hotelaria, hotéis boutiques e construções de muito bom gosto em meio à belos jardins e com vistas estonteantes.

São ideais para quem está de carro, ou para aqueles que gostam de uma viagem mais tranquila, com tempo para caminhadas e passeios ao ar livre. Ou para quem já conhece a cidade.

O mítico Llao LLao

Para quem se hospedar no melhor hotel da cidade saiba que o Llao Llao tem uma intensa programação interna com aulas de fotografia, caminhadas pelo bosque e muitas atividades físicas como pilates, escalada, passeios de caiaque pelo lago e arqueria no bosque.

O hotel também oferece uma área de entretenimento para os pequenos e são muitas as opções de restaurantes. Faz parte também do complexo uma renomada pista de golf e um badalado spa.

E não deixe de relaxar na piscina climatizada: as vistas são estonteantes. Não dá para não se encantar com as famílias de cauquenes que circulam tranquilamente por alí.

Nós adoramos descer até a beira do lago e ficar lendo um bom livro, ou batento papo por lá, de olho no Cerro Tronador. E é claro, tirando muitas fotos!

Mais algumas informações sobre Bariloche, no verão ou qualquer outra estação

Um mínimo para conhecer bem a região e fazer alguns dos passeios pelo belíssimo e onipresente lago Nahuel Hualpi é uma estada de 4 dias. Não fique menos, porque se arrependerá!

Esteja ligado com alguns taxistas: combine antes se irá pagar com cartão de crédito, senão poderá ser cobrado a mais por conta da taxa de uso das maquininhas. Coisas de uma economia dolarizada…

E ainda sobre o dólar: embora o dólar seja aceito em 99% dos estabelecimentos, tenha sempre alguns pesos com você.

E saiba ainda

Embora a principal região vinícola da Argentina seja Mendoza, são produzidos alguns vinhos bem gostosos na Patagônia, e mesmo mais ao sul do país, no chamado Fim do Mundo. Não deixe de provar!

E porque você sempre deve ter alguns pesos: você precisará deles para pagar táxis, taxas turísticas (como a de entrada do parque Nahuel Hualpi) e em alguns restaurantes e cafés.

Ademais, não é difícil encontrar lugares que não aceitam cartão. Além disso, sempre que pagar com dólar a conversão será pior que a taxa oficial. E o troco será sempre em pesos.

Outra questão importante é que agora há voos diretos de São Paulo a Bariloche: uma opção mais rápida e econômica que com parada em Buenos Aires.

Em nosso Instagram tem muitas imagens e informações sobre Bariloche no verão, assim como das outras cidades que conhecemos na Argentina e mais 30 países. Nos acompanhe!

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

3 Comentários

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.